Ilessi

Nascida em Campo Grande e criada em Jacarepaguá, bairros da Zona Oeste do Rio de Janeiro, Ilessi – nome Iorubá, originalmente escrito “Ilé Si”, que significa casa do existir – é cantora e compositora. Desde 1998 vem se apresentando em todo Brasil e em países como França, Suécia e Inglaterra.

Em 2009 lançou pela gravadora CPC-UMES o CD Brigador – Ilessi canta Pedro Amorim e Paulo César Pinheiro, do qual participaram músicos como Luís Barcelos (o arranjador do álbum), Amélia Rabello, Cristóvão Bastos, Daniel Santiago, João Lyra, Luciana Rabello, Maurício Carrilho e Rogério Caetano.

Em 2013, em duo com Diogo Sili, Ilessi lançou o show Quem me levará sou eu – Ilessi e Diogo Sili interpretam Manduka, em que apresenta canções inéditas do compositor carioca já falecido, filho do poeta amazonense Thiago de Mello.

Em 2014, apresentou o show Nos túneis de mangueiras…, em Belém, para o qual selecionou apenas canções de compositores paraenses. A partir de 2014, realizou por um ano o Curso de Improvisação na Universidade de Örebro, Suécia. Na ocasião, participou do Tribute to Jobim na Konsertsalen.

Em 2018, Ilessi se apresentou no SESC Pompeia, no show Berimbau: Um tributo a Baden Powell – Eduardo Gudin convida Toquinho, Ilessi e Renato Braz.

Atualmente tem participado e produzido eventos relacionados à temática da mulher na música, como o Sonora – Ciclo Internacional de Compositoras e a Mostra Essa Mulher.

O segundo álbum de Ilessi (seu primeiro lançado pela Rocinante) é Mundo Afora: Meada, com canções de novos autores de diversas regiões do Brasil, como Alexandre Andrés, Milena Tibúrcio, Paloma Roriz, entre outros. O disco tem arranjos e direção musical de Thiago Amud (um dos autores presentes no disco).

Ilessi é uma intérprete que prima pela recusa dos caminhos fáceis na escolha de seu repertório, sempre se lançando na busca de novos autores, de canções inéditas ou praticamente desconhecidas.

Mundo afora: meada

Ilessi

R 002 | junho 2018