Ilessi

Nascida em Campo Grande e criada em Jacarepaguá, bairros da Zona Oeste do Rio de Janeiro, Ilessi – nome Iorubá, originalmente escrito “Ilé Si”, que significa casa do existir – é cantora e compositora. Desde 1998 vem se apresentando em todo Brasil e em países como França, Suécia e Inglaterra.

Em 2009 lançou pela gravadora CPC-UMES o CD Brigador – Ilessi canta Pedro Amorim e Paulo César Pinheiro, do qual participaram músicos como Luís Barcelos (o arranjador do álbum), Amélia Rabello, Cristóvão Bastos, Daniel Santiago, João Lyra, Luciana Rabello, Maurício Carrilho e Rogério Caetano.

Em 2013, em duo com Diogo Sili, Ilessi lançou o show Quem me levará sou eu – Ilessi e Diogo Sili interpretam Manduka, em que apresenta canções inéditas do compositor carioca já falecido, filho do poeta amazonense Thiago de Mello.

Em 2014, apresentou o show Nos túneis de mangueiras…, em Belém, para o qual selecionou apenas canções de compositores paraenses. A partir de 2014, realizou por um ano o Curso de Improvisação na Universidade de Örebro, Suécia. Na ocasião, participou do Tribute to Jobim na Konsertsalen.

Em 2018, Ilessi se apresentou no SESC Pompeia, no show Berimbau: Um tributo a Baden Powell – Eduardo Gudin convida Toquinho, Ilessi e Renato Braz.

Atualmente tem participado e produzido eventos relacionados à temática da mulher na música, como o Sonora – Ciclo Internacional de Compositoras e a Mostra Essa Mulher.

O segundo álbum de Ilessi (seu primeiro lançado pela Rocinante) é Mundo Afora: Meada, com canções de novos autores de diversas regiões do Brasil, como Alexandre Andrés, Milena Tibúrcio, Paloma Roriz, entre outros. O disco tem arranjos e direção musical de Thiago Amud (um dos autores presentes no disco).

Ilessi é uma intérprete que prima pela recusa dos caminhos fáceis na escolha de seu repertório, sempre se lançando na busca de novos autores, de canções inéditas ou praticamente desconhecidas.

Dama de Espadas

Ilessi

R 008 | outubro 2020

Mundo afora: meada

Ilessi

R 002 | junho 2018